segunda-feira, 30 de outubro de 2017

DR. CARTA PÁCIO E OS POMBOS

Esse Dr. Carta Pácio, sempre inovando. Para me mandar sua última carta, dispensou o serviço dos Correios e apelou para um pombo-correio.
Prezado Sr.,
Espero que esta carta que atei à perna de um disposto columbídeo chegue até o senhor. Os pombos possuem o melhor sentido de orientação de todas as aves. E, sendo parte interessada no assunto que escrevo, um representante deles não vai certamente falhar na missão.
Para início de conversa, espero que esta carta chegue aí em bom estado. Significando dizer: com o envelope imaculado e sem odores estranhos.
É que eu fiquei com um osso entalado na garganta depois que li o seu artigo O POMBO CHEIO.
Então, o senhor frequentava aquele sórdido local de sacrifícios animais? E o que é pior: comia-os? Tomara que não.
Pombos e pombas, meu senhor, são considerados símbolos da paz e da harmonia. Numa tradição que, supostamente, tem as suas origens na história bíblica da Arca de Noé. Segundo o Antigo Testamento, depois do Dilúvio, Noé soltou uma pomba que regressou com um ramo de oliveira no bico, que mostrava que a água estava regredindo e que tinham sido feitas as pazes com Deus. Na iconografia cristã, são também uma metáfora do Espírito Santo, que apareceu sob a forma de pomba no batismo de Jesus Cristo.
Dizem os detratores dos columbídeos que laxativo de pombo é ver carro lavado. Mas, pombas, só estes seres levam a culpa por aquilo que todas as aves fazem.
Não temos a sofisticação da língua inglesa que dispõe de dois termos para designar os pombos: "pigeon" quando o pombo está vivo e "pigeoff", se ele está morto.
Mas temos o soneto "As Pombas", de Raimundo Correios Correia, para cantar os seus feitos positivos: "Aos pombais as pombas voltam, (enquanto os sonhos do azul da adolescência) aos corações não voltam mais".
E tenho que eu vou voltar.
Cordialmente seu
Dr. Carta Pácio
Vou responder ao Dr. Carta Pácio através deste blogue:
A pomba gira e a Lusitana roda.
N.B. Se você tem menos de trinta anos talvez não entenda essa frase, que veio da publicidade. Lusitana foi uma empresa de transportes. E a pomba gira é a parte substituindo o todo – o mundo (que também gira). A frase original se tornou popular com o significado de que “o mundo dá voltas”, “a vida segue”, “os tempos mudam”. Um daqueles lances da publicidade que ficaram grudados e incorporados na cultura brasileira.
Original: EM, 09/05/2014

sábado, 30 de setembro de 2017

PIAR TAMBÉM É PIADA

Piando macuco
Rubem Braga gostava de contar esta historieta do tempo em que passarinhava.
Certa feita, depois de haver piado macuco uma boa meia hora, a danada da ave lhe apareceu. Mas, ao tentar levar a arma à cara, teve um grande dissabor. Ouvir isto do macuco: "Não atire não, moço, eu só vim ver quem é que estava piando macuco tão mal."
Tarde piaste!
Duas explicações anedóticas são apresentadas como provável origem dessa locução. Uma se refere ao milhafre, ave que não costuma apanhar presas vivas, mas, por exceção, às vezes pega uns pintainhos e os devora. Embora piem de nada adianta, porque tarde piaram... A outra versão é a de um galego, que indo comer ovos crus, ao engolir um que não estava fresco, já na garganta lhe piou um pinto, ao que teria observado: "Tarde piaste!" (Raimundo Magalhães Jr.)
Portanto, "tarde piaste!" é uma resposta que se dá a um protesto quando a situação se tornou irreversível. Quem pia tarde perde o prazo e deixa de impugnar um ato em tempo hábil.
Original: EM, 21/10/2011
O pássaro que perdeu o amigo
Um pássaro descrevia com entusiasmo um milharal que existia nas redondezas. Convidando outro para que ambos fossem lá para um amplo, geral e irrestrito banquete.
Mas o outro se mostrou temeroso:
- Costuma haver caçadores naquele milharal.
- Ora, dividiremos o risco.
- Qual! Você é pequenino e eu sou grande...
Ficava entendido que o pássaro de porte avantajado, no caso de ambos serem vistos por um caçador, seria o alvo preferencial. E o pequenino, assim, é que teria maior chance de escapar.
E isso não era tudo. O pássaro graúdo lembrou um detalhe que tornava a aventura arriscadíssima:
- Você pia sem parar. Vai certamente chamar a atenção para nós.
- Fico em silêncio. No milharal eu só vou abrir o bico para comer grão.
- Bem, sendo assim...
E voaram os dois para a desejada lambança. Só que o pequenino, mal se viu entre as espigas, esqueceu-se do trato. E pôs-se a piar incessantemente, o que atraiu para o local uns caçadores.
Bastou um tiro para acertar... logo quem? O passarão, como era previsível.
Quanto ao pequenino, este voou para longe sem maiores dificuldades. E sem uma ponta de arrependimento, acrescente-se também. Tanto que ele, ao escapar, ainda comentou:
- Perco o amigo mas não perco o piado.
Original: EM, 25/11/2011
Di meliora piis
Nero, quando caçava na campanha romana, levava alguns palacianos para ajudá-lo a piar macuco. O déspota era impenitente e estava sempre a dizer-lhes: "deem melhores pios". Daí a frase ter ficado como exemplo de uma insistência implicante.
Di meliora piis, locução latina que significa "melhores dias [concedam os deuses] aos homens piedosos". Emprega-se para exprimir votos favoráveis.
Fonte: Virgílio, Geórgicas, III, 513
(Aqui transcrita para desfazer o mal-entendido que a frase de Nero possa ter trazido para a locução acima.)
Original: EM, 30/06/2017

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

VOU VARRENDO

1
A vassoura nova varre melhor, mas a vassoura velha...


... é que sabe onde a poeira se esconde.
Original: EM, 28/09/2012
2
Em meu vassoureiro / há uma vassoura velha / que varre meio de esguelha / e há uma vassoura nova / que varre a toda prova: / sem elas eu não teria / os meus coelhos de poeira.
Algumas crendices com a vassoura:
  • Pôr uma vassoura com o cabo para baixo, detrás da porta, faz a visita demorada e monótona lembrar-se de ir embora.
  • Nas mudanças de residência, a primeira varredura deve ser feita com uma vassoura velha, segundo uns, para continuar o equilíbrio anterior, ou com uma vassoura nova para iniciar vida nova, segundo outros.
  • Já inútil, a vassoura deve ser queimada, e não lançada ao lixo, para não roubar a felicidade da casa.
  • A vassoura deve ser guardada na posição vertical. Encontrando-a deitada, depressa recolocam-na direita, sob pena de prejudicar o dono da casa.
  • Não se varre a casa durante a noite para não expulsar a tranquilidade ou incomodar as "santas almas" que porventura estejam percorrendo os lugares onde estiveram quando tinham forma corpórea.
  • A ideia de que a vassoura pode varrer tudo, inclusive as cousas abstratas - felicidade, tranquilidade, bem-estar, saúde, boa sorte - abrange também o amor.
  • Rapaz ou moça cujos pés foram varridos não conseguirão se casar.
Português na Rede: A TODA PROVA ou À TODA PROVA
O certo é "a toda prova", sem crase. Simplesmente porque "toda" rejeita a anteposição de artigo - não dizemos "a toda mulher é charmosa", mas "toda mulher é charmosa". E, sem artigo, não há crase, pois a crase é a fusão da preposição "a" com o artigo "a".
Original: EM, 28/06/2017

domingo, 30 de julho de 2017

# ZERO

O caçula dos números
Na antiguidade, o zero já era utilizado para fazer cálculos quando, de fato, ainda não tinha sido inventado. Era, por exemplo, levado em consideração nas pedrinhas dos ábacos que permaneciam abaixadas.
Quem inventou o símbolo para o zero foram os indianos, que tinham um sistema numérico baseado no número 10. Nesse sistema, criado por volta de 200 a.C. , a inclusão do zero só aconteceu há aproximadamente 1.300 anos. E, por terem sido os árabes que levaram o sistema numérico da Índia para a Europa, aí por volta do século 10 d.C., é que os algarismos que usamos são chamados de indo-arábicos.
"O zero foi, portanto, o último algarismo a aparecer no prodigioso edifício da numeração." Malba Tahan
Original: EM, 28/03/2011
O zero à esquerda
Parafraseando Ruy:
De tanto ver triunfarem as nulidades...

botei um ZERO à esquerda.


Original: EM, 16/06/2007
Contudo, o zero à esquerda é necessário, na notação das frações decimais entre -1 e 1, para transmitir a magnitude de um número. Agora, se for à esquerda de um número inteiro deve ser deixado em branco ou omitido.
Há exceções:
- no famoso número identificador de James Bond (007), que tem dois zeros à esquerda;
- na roleta, onde "00" é diferente de "0" (uma aposta em "0" não ganhará se a bola cair em "00" e vice-versa);
- nos mostradores dos dispositivos com números fixos de dígitos. Como, por exemplo, no odômetro do seu carro.
Original: EM 
Que é a Ilha Zero?
É uma ilha fictícia no Golfo da Guiné que foi adicionada à coleção de mapas de domínio público da Natural Earth. Está localizada precisamente no encontro da linha do Equador com o primeiro meridiano (o de Greenwich) e corresponde às coordenadas 0 ° N 0 ° E.
É definida como uma ilha de um metro quadrado e, numa escala de 1: 100.000, ela nem sequer deveria aparecer no mapa.
Sua "existência" é uma meia-piada. No entanto, a ilha é útil para detetar erros no desenho de mapas e na programação de sistemas que fazem uso das coordenadas terrestres.
Ela está no Twitter como @NullIsland e no YouTube como https://youtu.be/nimtoVLusXc.
Original: EM, 02/01/2017
Ode ao número zero
Minha versão para o poema matemático Oda al número 0, do poeta granadino Enrique Morón.
~ Redonda negação, pois nada existe
encerrado em teu círculo profundo
e rodas derrotado pelo mundo
com a sorte que a ele não pediste.
~ Como uma lua cheia é tua figura
gravada em papel com tinta e sono
Dono de ti, mas negas ser o dono
da completa extensão da brancura.
~ Teu coração imóvel e vazio
perdeu o sangue que inexistia.
É inútil colher onde não havia
mais do que um corpo no corpo frio.
~ Redonda negação, redonda essência
que não pôde ser nem o pretendeu.
Unicamente nada é o sonho teu
pois o não ser é ser em tua existência.
Original: EM, 03/06/2017

sexta-feira, 30 de junho de 2017

O EFEITO BORBOLETA

Você pode correr atrás de uma borboleta em todo o campo e nunca pegá-la. Mas, se você se sentar calmamente na relva, ela virá sentar-se em seu ombro. Mário Quintana
Eu estarei flutuando como uma borboleta e picando como uma abelha. Muhammad Ali
A borboleta não conta meses, mas momentos. E tem tempo suficiente. Rabindranath Tagore
As borboletas são flores com autopropulsão. RH Heinlein
Não há nada em uma lagarta que lhe diga que vai ser uma borboleta. Richard Buckminster Fuller
Nós somos como as borboletas: vibramos por um dia e achamos que é para sempre. Carl Sagan
Estamos mais próximos das formigas do que das borboletas. Muito poucos podem resistir a tanto lazer. Gerald Brenan
Eu não sei se eu era um homem sonhando que era uma borboleta ou se eu sou agora uma borboleta sonhando que sou um homem. Chuang-Tzu
Assim como a borboleta eu também vou despertar em meu próprio tempo. Deborah Chaskin
A vibração das asas de uma borboleta pode efetuar mudanças climáticas no outro lado do planeta. Paul Erlich
Borboleteando
"Como posso me tornar uma borboleta?", perguntou ela. 
"Você deve querer voar tanto que esteja disposto a desistir de ser uma lagarta."
Não se pode ter um pensamento sobre borboleta que não apareça imediatamente outro. E outro e outro e outro... sendo tudo pensamento a respeito de borboletas. Até que, algumas borboletas após (com suas passagens por lagartas, certamente), acontece uma incrível mudança climática no outro lado do planeta.
Isso é o efeito borboleta explicado. 
Original: EM, 03/07/2010
Em 1979, o professor de meteorologia Edward Lorenz, do MIT, apresentou um trabalho na 139ª Reunião Anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, com o título de "Predictability: Does the flap of a butterfly's wings in Brazil set off a tornado in Texas?" (Previsibilidade: Será que o bater das asas de uma borboleta no Brasil desencadeia um tornado no Texas?)
A ideia de que uma borboleta pode ter o efeito de uma onda de longo alcance em eventos subsequentes parece haver estreado em 1952, em um conto de Ray Bradbury sobre as viagens no tempo.
Original: EM, 16/05/2017

terça-feira, 30 de maio de 2017

O MUNDO ASSOMBRADO PELAS SOMBRAS

No mundo das sombras
Se você estiver de pé e bem ereto não se importe com a postura de sua sombra. Sombra, às vezes, faz feio quando bebe. ~ Paulo Gurgel
A seguir, alguns flagrantes comprovadores de que as sombras agem por conta própria.

Agem assim... sem sombra de dúvida, minha gente.
Original: EM, 28/02/2008
Quanto pesam as sombras?
O assunto desta nota é um dos mais interessantes: origina-se do trabalho de Vsauce que, entre outras coisas, descreveu a relação das forças exercidas pela luz em objetos do cotidiano.
Os fótons que formam a luz têm um pouco de energia e, ao colidirem com outras partículas subatômicas, podem exercer uma pressão muito leve em objetos de qualquer tamanho.
Mas... reúna milhões e milhões de fótons em uma escala macroscópica que coisas diferentes vão acontecer.
Esta é a razão por que as caudas dos cometas apontam para longe do Sol. E por que uma sonda enviada para Marte sofre um desvio de até 100 km, dependendo da extensão do percurso em que a sonda é afetada pela luz do sol.
Se algo interrompe a luz, uma sombra é formada, como sabemos. E o objeto passa a pesar menos do que se estivesse sob a luz.
Em outras palavras: nós somos - infinitesimalmente - mais pesados quando estamos sob a luz.
Apesar de ser muito pequena, essa força da luz pode ser medida. Estima-se que uma cidade como Chicago, em dia de sol, pese mais de 140 quilos do que em um dia nublado.
Original: EM, 22/08/2013
A sombra de sempre
Esta foto foi tirada em uma cidade ensolarada da Espanha:
Serve para comprovar que... não há nada de novo sobre a sombra.
Como veem:
Ela continua sendo a mesma sombra de sempre, desconhecendo a intenção dos homens.
Original: EM, 06/05/2015
Tua sombra
É a confirmação de que a luz foi capaz de viajar uns 150 milhões de quilômetros, não se chocando absolutamente com nada, apenas para não tocar no solo do nosso planeta - por uma questão de poucos centímetros!
(para pensar sobre as maravilhas do Universo)
Original: EM, 29/04/2017

domingo, 30 de abril de 2017

A CONSTITUIÇÃO DO BRASIL, A HIERARQUIA DAS LEIS E A DELAÇÃO PREMIADA CAUTELAR

A Constituição do Brasil no Twitter
O Brasil já teve várias Constituições, em geral muito prolixas. A exceção foi a Constituição promulgada pelo cearense Capistrano de Abreu. Atualíssima, cabe integralmente nos 140 caracteres do Twitter.


E ainda sobra espaço para um inciso de 45 caracteres.
Original: EM, 20/09/2011

A hierarquia das Leis
1 Acho que vou discordar do que dizem os juristas do país. Muitos anos de vida prática me dão uma sólida convicção de que a hierarquia das leis no Brasil é na verdade assim:
  1. Regimento Interno do Condomínio
  2. Constituição Federal
  3. Leis Complementares
  4. Etc. e Tal
2 O trânsito das cidades e os condomínios tornam as pessoas más.
Paulo Gurgel
Original: EM, 23/04/2013

A Delação Premiada Cautelar
Recorrendo ao site Zé Moleza, que muita gente boa de índole má do Poder Justiceiro acessa para copiar passagens interessantes para suas monografias, dissertações e teses, nada encontrei sobre o instituto da Delação Premiada Cautelar.
De forma que eu resolvi acabar com esse vazio legal. Assim como fiz ao outorgar a Hierarquia das Leis no Brasil e ao prefaciar sob a proteção de Deus a Constituição do Brasil no Twitter.
Isto posto, começo por definir o que vem a ser a tal Delação Premiada Cautelar:
É quando o indiciado sem cometimento de crime algum antecipa-se à denúncia do procurador e, para não pegar uma pena de prisão perpétua, delata de ouvir dizer e sem necessidade de apresentar as provas exclusivamente o que o juiz quer ouvir.
Original: EM, 09/04/2017

quinta-feira, 30 de março de 2017

APELANDO A APELES

NULLA DIES SINE LINEA
Tradução: "Nenhum dia sem uma linha (ou traço)."
O lema atribuído por Plínio, o Velho, ao jovem pintor Apeles. Porque Apeles não aceitava a ideia de passar um único dia sem trabalhar.
Bem, com estas eu já fico para lá de quite com o meu blog, hoje.
Apesar de que ainda tem mais.

Apeles era o pintor oficial de Alexandre o Grande. Neste quadro de Tiepolo, de 1740, ele aparece retratando Campaspe, a concubina favorita de Alexandre.
Notem o ar entediado de Alexandre com relação à concubina. Em contraste com o profundo interesse do jovem pintor por Campaspe (muito além do que o trabalho deveria exigir).
Pois é, Alexandre não foi grande só no nome. E logo passou a pequena para os cuidados afetivos de Apeles.
Original: EM, 25/07/2007
NE SUTOR ULTRA CREPIDAM
Tradução: "Não (suba) o sapateiro acima da sandália".
Palavras do pintor Apeles a um sapateiro, baseadas num trecho de Valério Máximo (Fatos e Ditos Memoráveis, Livro VIII, 12, 3).
Eis como Pe. Manuel Bernardes relatou a história;
(Apeles) expôs à porta uma pintura sua, e se pôs detrás do pano a escutar os votos e censuras várias dos que passavam. Veio um sapateiro, e notou um defeito na chinela de uma figura principal. Emendou Apeles a falta, e no seguinte dia tornou a passar aquele oficial, e vendo a emenda, ficou satisfeito de si, e atreveu-se a notar outra cousa na perna da mesma figura. Então Apeles, aparecendo, lhe disse: Não suba o sapateiro além da chinela; daqui ficou o adágio contra os que dão voto no que não entendem: Ne sutor ultra crepidam.
Nova Floresta, vol. V, tít. VIII, 37.
Apeles e o sapateiro eram gregos, e aquele teria respondido a este em grego, claro. E por que a frase ficou em latim?
O romano Valério Máximo, que narrou pela primeira vez a história, comunicava-se em latim. Simples assim.
Ultracrepidanismo
Aglutinação das palavras "ultra" e "crepidam", com origem na citada expressão latina, originalmente publicada em inglês ("ultracrepidarian") num ensaio de William Hazlitt. É o hábito de expressar opiniões ou dar conselhos em assuntos para além do conhecimento do próprio.
Original: EM, 27/01/2017

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

OS PINGUINS

quando morrem
Já se perguntou por que não há pinguins mortos sobre o gelo na Antártida. Aonde eles vão?
É fato conhecido que o pinguim é uma ave ritualista e que vive uma vida organizada e complexa. Ele é também muito comprometido com a família e quando forma um casal é para a vida inteira.
Se um pinguim é encontrado morto na superfície de gelo outros membros da família e de seu círculo social, usando suas asas vestigiais e bicos, cavam um buraco no gelo com profundidade suficiente para sepultá-lo.
Em seguida, os machos  reúnem-se em círculo ao redor do buraco e cantam:
Foi ele um bom companheiro
Foi ele um bom companheiro
Agora é congelar...
E descem-no à sepultura.
Você realmente não acreditava que eu soubesse algo sobre os pinguins, não é?!
Original:EM, 25/10/2011
quando ouvem música
"Um bom número de pinguins-imperadores tinham sido capturados. Para testar o efeito da música sobre eles, Piper Kerr tocou sua gaita de foles – mas, nem marchas empolgantes, nem lamentos melancólicos tiveram qualquer efeito sobre essas aves fleumáticas e letárgicas; não se percebeu nelas nenhuma emoção, nenhum sinal de apreço ou desaprovação, apenas uma sonolenta indiferença."
— Rudmose Brown et al., The Voyage of the "Scotia", 1906
Comentário - O comportamento frio dos pinguins mostrou-se em consonância com o tipo de instrumento tocado.
Original: EM, 01/01/2017

quando são homenageados
Penguinone quimicamente é uma cetona cíclica, simétrica, insaturada.
Nome real: 3,4,4,5-tetrametilciclohexa-2,5-dienona.
A representação bidimensional da estrutura desta molécula lembra o pinguim (penguin), daí o apelido que recebeu em inglês.
Fora da nomeação sistemática, os compostos químicos podem receber nomes baseados em formas, vulgarismos, nomes de pessoas, personagens fictícios, lugares e organizações, ou relacionados ao sexo, funções corporais, decadência, morte etc
Lista de compostos químicos com nome invulgares
Original: EM, 30/01/2017

quando são chamados
(tópicos para uma história irreal)
  • Atendendo a uma convocatória dois pinguins andaram da Antártida até o Oriente Médio.
  • Subiram em uma Arca de 40 côvados para uma longa viagem náutica à deriva.
  • Não comeram nem foram comidos (comer era proibido a bordo) durante 40 dias.
  • Desembarcaram e caminharam de volta até a Antártida.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

MAE - CITAÇÕES E ARMAÇÃO

  • Você sabe, para deixar uma pessoa encrencada são necessárias duas.
  • Entre dois males, escolho sempre o que ainda não experimentei.
  • Quando sou boa, sou ótima, mas quando sou má, sou melhor ainda.
  • Quando as mulheres erram, os homens vão atrás.
  • Homens são todos parecidos, exceto aquele que você encontrou — que é diferente!
  • Obrigada, adorei cada centímetro.
Mary Jane West (1893-1980)
Atriz e escritora norte-americana com grande popularidade nos anos 1920 e 1930. Sua forma de representar e seus textos eram por demais desafiadores para a sociedade puritana da época. Faziam sucesso, mas eram boicotados pela grande imprensa. Uma de suas peças, "Sex", foi retirada de cartaz e lhe rendeu uma condenação a oito dias de prisão por "corromper a juventude".

Em 1972, ouvi um oficial da Brigada Paraquedista, no Rio de Janeiro, dizer que estava a acontecer um "Mae West". Num salto em que o paraquedas acidentalmente se dividira em dois, pela interposição de uma de suas cordas, e ficara ao descer com a aparência de um imenso sutiã. Uma das características físicas de Mae West era o seu busto avantajado. PGCS

Post scriptum
"Citações de Mae West" foi republicada no Luis Nassif Online, em 31/07/2011 - 10:03.
Original: EM, 27/07/2011

Ao ser republicada no Luis Nassif Online, a postagem Citações de Mae West recebeu valiosas contribuições de três leitores do referido site:
Ivan Moraes, que inseriu este vídeo com Mae West (Light My Fire).
Laura (s/ link), que gostou das "sacadas" da diva norte-americana, porém achando que uma delas (a 3ª) possa ser de Beth Davis.
Sanzio, que enviou outras citações de Mae West:
  • O casamento é uma grande instituição, mas eu ainda não estou pronta para uma instituição (há um jogo com a palavra instituição, que pode significar também um hospital psiquiátrico).
  • Eu acredito na censura. Fiz uma fortuna com ela.
  • Errar é humano, mas a sensação é divina.
  • Eu mesma escrevi o roteiro. É sobre uma garota que perdeu a reputação e nunca sentiu falta dela.
  • Não são os homens na minha vida que contam, é a vida nos meus homens.
  • O amor supera tudo, menos a pobreza e dor de dente.
Original: EM, 02/08/2011

A armação de Mae
Em 1934, depois de receber cartas com extorsão, chantagem e ameaças de sequestro, Mae West aprendeu a manejar uma Tommy. Tinha fotos tiradas de si mesma para provar isso.

"Machine Gun" Mae: "Isso é uma pistola em seu bolso, ou só está feliz em me ver?" 

A armação funcionou, e as cartas ameaçadoras pararam de chegar.
Bem, por precaução, o FBI designou guarda-costas para acompanhá-la durante algum tempo.
Original: EM, 23/12/2016

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O DEVER DE CASA

Velha e novas desculpas

Fez-me rir saber que John Steinbeck, em maio de 1936, escreveu uma carta a seu editor, na qual alertava para o atraso na remessa do manuscrito do seu romance"Of Mice and Men" (tradução: "Ratos e Homens").
Motivo: um cachorro o havia comido.
Ocorreu uma pequena tragédia. Meu filhote de cão Setter converteu em confetes aproximadamente a metade do livro. Dois meses de trabalho para refazê-lo. Isto me atrasará. Não há nenhum rascunho. Eu fiquei muito irritado, mas talvez o guri não se tenha equivocado. Eu não quero prejudicar um cão apenas por causa de um manuscrito. Não está claro que seja bom em tudo. Como punição, só lhe dei um chega para lá com o mata-moscas. Mas há um trabalho que terei de fazer novamente desde o começo.
Isto, por sua vez, me fez pensar que a famosa desculpa de que "o cachorro comeu o meu dever de casa" tenha sido uma invenção de Steinbeck.
Mas a Wikipedia – com a autoridade que tem, ou não – garante que a expressão "the dog ate my homework" é usada desde o princípio do século XX, se não antes.
Diz também que a boa e velha desculpa se popularizou na década de 1970. Acrescentando que, a partir de 1980, ela começou a perder terreno para: não fiz a lição de casa porque... o computador pifou, a impressora deu pau, a internet caiu, coisa e tal.
O upgrade para um conjunto de desculpas em que há uma forte influência da área tecnológica, como veem.
Original: EM, 21/10/2016
Planeta e asteroide
Marte tem água na superfície, mas não bastante. Ceres, um planeta anão, é constituído de 25 por cento de água.
Se o segundo colidisse com o primeiro, Marte ficaria coberto, em 33 por cento de sua superfície, por oceanos com até 5.900 metros de profundidade.
Ceres é o maior objeto no cinturão de asteroides, que se situa entre as órbitas de Marte e Júpiter. Não é porém um planeta propriamente dito, porque não fez até hoje o seu dever de casa.
O dever de casa para um asteroide que aspira a ser planeta consiste em "limpar a órbita" dos demais asteroides.
Original: EM, 20/10/2016

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

SAGUAROS

1
Continuam chegando ao Awkward as fotos de famílias em situações constrangedoras. Uma das mais recentes apresenta uma delas com seus membros fantasiados de cactos.
Uma observadora mais atenta sugeriu que eles são certamente saguaros (Carnegiae gigantea). Uma espécie de cacto muito comum nos desertos norte-americanos e que chega a viver 200 anos. Apenas aos 75 anos é que esse tipo de cacto começa a desenvolver seus primeiros ramos.
Faz sentido: papai e mamãe têm dois "braços", os filhos mais velhos deles, apenas um, e o caçula, nenhum ainda.
Original: 02/07/2009
2
Como já disse, os saguaros crescem muito lentamente e podem viver até 200 anos. Aos 9 anos, eles apresentam cerca de 15 cm de altura. E, aos 75 anos, é quando começam a desenvolver seus primeiros braços.
Quando adultos, os saguaros alcançam a altura de 15 metros e o peso de 10 toneladas. Isso, eventualmente, pode causar algum problema.
As consequências da queda de um saguaro: 
http://i.imgur.com/GWf5qKE.jpg
Os saguaros armazenam uma grande quantidade de água. Por isso, podem salvar sua vida se você estiver morrendo de sede, no meio do deserto. Bem, você poderia ir até aquela casa e pegar uma cerveja na geladeira. Mas, com o cacto, agora você tem opções.
Original: EM, 04/11/2015
3
Existe uma sociedade totalmente dedicada aos saguaros com crista. É a Crested Saguaro Society.
A crista é uma excrescência semelhante a um leque.que ocorre naturalmente em cactos graças a um fenômeno chamado fasciação.
A CSS coleciona fotos e informações desses cactos com crista que vivem no Arizona, Califórnia, Nevada e México.
Atualmente, conta com mais de 2.200 imagens protegidas por espinhos:
"Qualquer uso sem autorização é uma violação dos direitos de autor. Ver as imagens no website não confere direitos ao uso ou à publicação, mesmo que seja dado crédito."
Original: EM, 14/10/2016

domingo, 30 de outubro de 2016

O CHEIRO DOS LIVROS

Matija Strlic, um químico da Universidade de Londres, num estudo realizado em 2009, identificou 15 diferentes substâncias (compostos orgânicos voláteis, conhecidos como COV) que são liberadas pela degradação dos livros. No sentido físico, bem entendido.
Eles liberam tais substâncias a uma taxa previsível. Usando este conhecimento científico, bibliotecários e afins podem agora "farejar" um livro para determinar sua exata situação. E desse modo concluir se o livro está precisando de um serviço de preservação urgente.
Sobre o cheiro dos livros, o escritor de ficção científica Ray Bradbury, autor de Fahrenheit 451, uma vez disse: "Não há futuro para os e-books, porque eles não são livros".
"Eles cheiram a óleo queimado", acrescentou.
Original: EM, 26/08/16
Por que os velhos livros cheiram tão bem?
Especificamente o papel, de que são feitos os livros, tem uma grande quantidade de celulose, que é formada por moléculas de glicose, e de lignina, outro polímero orgânico complexo encontrado nas células das plantas. Com o tempo esses produtos químicos reagem à luz, à temperatura e à umidade do ambiente, e decompõem-se liberando compostos orgânicos voláteis (COVs), que são convertidos em gases e vapores, os quais, em seguida, misturam-se com o ar.
Existem diferentes tipos de compostos orgânicos voláteis, e o cheiro do livro vai depender do papel usado em sua impressão. Em adição aos componentes orgânicos do papel, o cheiro também tem a ver com as tintas, a cola, o barbante e outros artigos utilizados na encadernação.
Por exemplo, se o livro exala algum aroma floral é provavelmente devido à presença de 2-etil-hexanol, um tipo de álcool com um odor característico.
Vídeo: Why do old books smell so good?
Fuçar também: O cheiro dos livros
Para os booklovers
A revista Wallpaper encomendou ao mestre perfumista Geza Schoen a criação de uma fragrância baseada no cheiro de livros "para celebrar toda a sensualidade gloriosa de livros". A ideia é que esse novo perfume, o Paper Passion, relaxe você, como quando você lê um livro, a um nível de meditação e concentração.
Original: EM, 07/10/16

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O TEXTO DAS ARANHAS

A aranha no relógio
Em 1932, Louise Thompson notou que uma pequena aranha tinha entrado em seu relógio despertador. Isso não era algo assim tão surpreendente, mas logo ela notou que a aranha estava tentando tecer uma teia entre o ponteiro das horas e o ponteiro dos minutos, o que seria uma tarefa praticamente impossível, porque eles se mexiam rasgando a teia.
Mas a aranha persistiu em seu ofício.
Louise e seu marido ficaram atentos nos dias seguintes, pensando que a aranha acabaria por desistir, mas ela não desistiu.
A notícia se espalhou, a mídia se interessou pelo assunto, e a próxima coisa que aconteceu, você sabe, foi a aranha virar uma celebridade. O relógio foi levado com a aranha para a Universidade de Akron para estudo.
Pessoas de todo o mundo passaram a acompanhar a saga da pequena aranha, e John A. Twamley, de Rochester, Nova Iorque, escreveu um poema em sua homenagem.
Algumas pessoas, no entanto, ficaram horrorizados com todo aquele espetáculo. Em particular, os membros da Akron Humane Society que deploraram a prisão do aracnídeo (no caso, uma auto-prisão). Eles queriam que a aranha fosse logo libertada. Mas alguns cientistas foram contrários. Diziam que, fora do relógio, a aranha iria sucumbir no frio do inverno.
Lembrem-se que tudo isso aconteceu em 1932, no auge da Grande Depressão, e o apelo popular exercido pela aranha torna-se fácil de entender. Os tempos eram difíceis, e a aranha oferecia uma lição de perseverança diante dos contratempos.
The spider that waged a battle against a clock, por Alex Boese. In: About Entertainment
Original; EM, 08/08/2016
A aranha que inspirou Bruce
Lembram-se da história da aranha no relógio?
A história tem todos os elementos de uma fábula clássica. A aranha servindo como uma metáfora para a luta universal contra o tempo e a adversidade. Apesar de sofrer constante derrota, ela não esmorecia e continuava (fiando e porfiando) tentando construir a teia (a aranha vive do que tece, apud Gilberto Gil), sem se importar com as dificuldades insuperáveis.
A prisão da aranha no relógio apenas acrescentava um toque moderno à fábula, atualizando-a para a década de 1930.
Na época da saga do aracnídeo, alguns escreveram sobre a semelhança entre a aranha no relógio e a aranha que, certa vez, inspirou o rei escocês Robert the Bruce (gravura).
A "Lenda de Bruce e a  Aranha" (com a aranha colocada em primeiro lugar na edição de Sir Walter Scott, em 1828) conta que, durante uma fuga, o rei escocês escondeu-se em uma caverna escura onde passava o tempo assistindo a uma aranha que construía uma teia.
Inspirado pelo esforço incessante de aranha, Bruce fortaleceu o espírito para derrotar os ingleses na Batalha de Bannockburn.
Original: EM, 15/08/2016
Dizer "te amo" é fácil
Difícil é dizer...
A ARANHA ARRANHA A RÃ. A RÃ ARRANHA A ARANHA.
Original: EM, 06/09/2012

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

CLASSIFICAÇÃO DE SEXO

Sexadores de pintos e de cochinilhas
Este termo se refere à pessoa que faz a seleção de pintos por sexo. Na Classificação Brasileira de Ocupações, a CBO, do Ministério do Trabalho e Emprego, encontra-se sob o código 6235-25, e deste profissional se requer que tenha: 1) nível médio de escolaridade; 2) prática de um a dois anos no local de trabalho.
Que faz o sexador de pintos? Poucas horas após o nascimento destes, examina as características da cloaca, a tonalidade da penugem e a forma da asa para fazer a separação dos pintos por sexo. Com este trabalho, o sexador antecipa as utilizações específicas para essas aves.
A CBO não registra, mas descobri que existe também o sexador de cochinilhas: o profissional que separa estes insetos conforme o sexo. Mas que faz isto exclusivamente com as espécies de cochinilhas que apresentam interesse comercial. Como, por exemplo, com as espécies das quais se extrai o corante carmim. E, como este corante é encontrado somente no corpo das fêmeas, daí a necessidade de serem elas previamente identificadas.
Para ler no trabalho: Sexador de cochinillas: Un oficio con futuro (em espanhol). Aqui.
Original: EM, 19/05/2008
A customização do gênero
O conceito de gênero está se ampliando – aos poucos, novas classificações vão sendo adotadas, dando espaço para definições que vão muito além do feminino e masculino.
O AfroReggae, que luta pela equidade de gêneros por meio do projeto Além do Arco-Íris, se uniu à Artplan para uma nova iniciativa, o "Dicionário de Gêneros".
Idealizada pela agência de publicidade, o projeto conta com um site colaborativo, que aborda e descreve os gêneros. A proposta é desmistificar, sem delimitações nem recriminações, grupos que estão excluídos dos dicionários da língua portuguesa – e, portanto, não contam com um reconhecimento "oficial".
O "Dicionário de Gêneros" traz à tona o momento que estamos vivendo. No Facebook dos EUA, por exemplo, já foram liberados mais de 56 possibilidades de gênero (andrógeno, "trans", "cisgênero", "bigênero", "agênero" etc.). No Brasil, são 17.
Original: EM, 13/03/2016
Sistemas informatizados de classificação de sexo
Você pode dizer o sexo de uma pessoa a partir de apenas um vislumbre de suas sobrancelhas? Poderia um sistema informatizado fazer o mesmo?
Para descobrir isso, um estudo foi realizado por Yujie Dong (da Universidade de Clemson) e Damon L. Woodard (da Universidade da Flórida) em 2011. Usando algoritmos sobre oito características de reconhecimento biométrico em imagens de sobrancelhas, eles foram capazes de determinar o sexo de uma pessoa com uma precisão média de acerto de 96 por cento.
Mas as sobrancelhas não são, de maneira alguma, a única opção disponível para os sistemas informatizados de classificação de sexo. Já estão documentadas outras possibilidades, que incluem: corpo, forma das mãos, unhas, marcha, gesto, penteado, calçados, voz, estilo de blogue etc.
Em estilo de blogue a acurácia é 88,5 por cento.
Original: EM, 01/06/2016

terça-feira, 12 de julho de 2016

ROLA-BOSTAS

A bola e o besouro
A bola conduzida por um "besouro", por ser a Jabulani, é leve, muito fácil de ser levada. Mas, como não existe besouro grande assim, acredito que a figura acima seja o resultado de uma montagem fotográfica.
Só que o criador da imagem pegou pesado.
Por usar uma imitação do besouro rola-bostas, que tem este nome devido ao costume de rolar esferas de esterco pelas pradarias, e por acrescentar à imagem uma legenda nada cordial: SOCCER IS SHIT!
Ele deve viver em um país onde se joga o futebol com as mãos.
Original: EM. 11/09/2010
A vida vertiginosa de um rola-bostas
Life
Sometimes you roll the shit, sometimes the shit rolls you.
Original: EM, 04/02/2014
O padrão rola-bostas
"Picasso es comunista, yo tampoco", disse Salvador Dalí em 1951, em um célebre jogo de palavras que significa: “Picasso é comunista, eu também não”.
É justamente este senso de humor (de Salvador Dalí) que me fascina, e é algo inexistente na direita brasileira atual, carola, enfadonha, moralista. E sem cultura.
Cynara Menezes, Socialista Morena
"Machuque os ricos e veja quão rapidamente os seus servos vão reagir."
Os rola-bostas da imprensa brasileira (olavo, reinaldo, augusto, rodrigo etc) encaixam-se à perfeição neste padrão.
Por quê?
A gente atira no que vê e acerta no que não vê.
Original: EM, 27/03/2014
Uma fantástica maneira de navegar
Se você é um escaravelho, você deve passar uma boa parte de sua vida dançando por aí sobre o topo de uma bola – uma bola de cocô que, com alguma sorte, acabará por se tornar o jantar. Mas os pesquisadores que dedicam suas vidas ao estudo dessas criaturas da coprofagia dizem que eles adquiriram uma adaptação surpreendente.
De acordo com um estudo publicado na revista Current Biology, escaravelhos podem tirar "snapshots" (instantâneos) de seus arredores e usá-los para navegar. Os cientistas acreditam que eles navegam à noite, orientando-se pela parte visível da Via Láctea – aquele pálio aberto que cintila nos céus dos locais onde não há poluição luminosa.
Ora (direis) olhar estrelas! Certo, perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto, que os escaravelhos olham para as estrelas. E que, por conta dessa aptidão, já foram homenageados em outro estudo que deu o prêmio Ig Nobel à bióloga Marie Dacke.
Original: EM, 14/05/2016

domingo, 12 de junho de 2016

ILHA DOS CORNOS

Em 1994, o médico e poeta cearense Caetano Ximenes Aragão (1927 - 1995) publicou pela Maltese o seu "Ilha dos Cornos".
Com este livro, o médico-poeta Caetano encontrou, no dizer do jornalista Blanchard Girão, uma maneira de ironizar a vaidade e o complexo de superioridade machista do homem brasileiro.
Para escrever esta sátira fina e mordaz, Caetano rebuscou os mais remotos arquivos da cultura humana, foi às Mitologias Grega e Egípcia, percorreu as obras dos clássicos da Literatura Universal, seus maiores romancistas e escritores modernos e da Antiguidade, e pesquisou o cancioneiro musical popular e os nossos violeiros.
A "Ilha dos Cornos é uma gozação em estilo erudito. Veja-se, a exemplo, como Caetano Ximenes, ao tempo em que anuncia a boa nova, convoca a todos os cornos do mundo para que venham conhecer sua "Ilha":
"Cornos do mundo todo – uni-vos.
"Soprem todas as trombetas mesmo as de Jericó, soe o Schofar, ouçam-se os Berrantes, toquem as Cornamusas e todas as Cornucópias, e o Sonner du Cornet se eleve, levando-se a todos os quadrantes da Terra a boa nova, isto é, a fundação da pátria dos cornudos."
Caetano é também autor de "Romanceiro de Bárbara" (1980), um poema-livro que retrata a personagem Bárbara de Alencar e os eventos da Confederação do Equador. Tive a honra de privar da amizade deste inesquecível colega e de estar com ele em várias antologias de prosa e poesia que, na década de 1980, foram publicadas pela Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, seção do Ceará.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

HISTÓRIAS COM MATHEUS

NATÁLIA EM BISCUIT
Não o conheço. Mas ele, segundo a minha filha Natália, chama-se Airlan e cria bonecos de porcelana (biscuit) que são perfeitos. Na maioria das vezes, os modelos (involuntários) de suas estatuetas são popstars como Madonna, Britney Spears e Amy Winehouse.
Embora não faça parte de tão famoso universo, Natália teve a honra de ser modelada em porcelana pelo artista cearense.
Ficou bonita a peça e acho que bastante fiel ao modelo. Mas não sou um conhecedor emérito sobre o assunto.
Por isso, baseio-me no reconhecimento que fez o neto Matheus, que tem apenas dois anos de idade. O meu neto, o qual, assim que viu em nosso apartamento a pequena reprodução em porcelana da Natália, já foi logo exclamando:
- Tataia!
É porque sei que criança não aceita ser ludibriada. E tem sido assim desde o dia em que um certo rei desfilou nu.
LT, 08/11/2008
PASSANDO EM REVISTA
Durante a temporada argentina de seus pais, Matheus esteve sob os cuidados dos avós paternos (Elba e eu). Algumas vezes, o neto foi levado por minha mulher para se entreter um pouco nas residências de familiares.
Eis um destes instantes, quando ele, envergando o uniforme de tenente-brigadeiro (só o quépi), de Antônio Pinto Macedo, irmão de Elba, passava em revista o apartamento de dona Zaíra.

Fotógrafa Meirinha
LT, 08/01/2010
MARCADOS PARA MORRER
"Eu já tive um passarinho que fugiu, um cachorro que mordia, um hamster que sentaram em cima..."
Comentário de Matheus, aos 8 anos. Após receber um aquário com dois peixinhos-dourados marcados para morrer por falta de espaço, água com dejetos, parasitas, inanição ou excesso de comida, estresse, solidão etc.
Inédito
O DINOSSAURO QUE SABE ABRIR PORTAS
Estava incutindo em meu neto Matheus, de 9 anos, algumas ideias a favor da Teoria da Evolução das Espécies.
Falava sobre os animais que, durante o processo evolutivo, tinham se dado bem no quesito inteligência: o chimpanzé, o golfinho, o elefante, o cão e, last but not the least, o homem. Citando ainda o corvo, o papagaio e o polvo, graças ao sistema de cotas para aves e moluscos.
Nisso, o neto me interrompe:
- E o velociraptor é inteligente?
- Se fosse, ele não era chamado cientificamente de mongoliensis.
- Mas ele sabe abrir portas.
É... Lembrei-me de que já vi um deles abrindo uma porta. Onde? No "Parque Jurássico", que eu aposto haver sido a fonte de informação do garoto.
Depois que ele me confirmou isso, eu expliquei:
- Só acontece no filme, Matheus. Os dinossauros foram extintos há 60 milhões de anos. Quando eles dominavam a Terra, a espécie humana ainda não tinha surgido. Muito menos as portas, que são feitas pelos homens.
Notei que ele ficou meio despontado. Um dia retorno ao assunto para lhe dizer que, pelo menos na redação do blog EM, os velociraptores continuam vivinhos da silva, como se um grande asteroide nunca tivesse atingido a Terra.
Eles aparecem... quando aqui se comemora alguma marca de acessos alcançada:

ESTAMOS NO BLOGUE SEM INCIDENTES
COM VELOCIRAPTORES HÁ EXATOS ____ DIAS
Sou lá besta de perder o ISO 14000.
LT, 21/02/2016

terça-feira, 12 de abril de 2016

NO BALANÇO DA REDE

O que eu disse e o que outros disseram sobre "a primeira peça do mobiliário brasileiro"

"Ninguém podia dormir na rede
Porque na casa não tinha parede."
"A Casa" - Toquinho e Vinicius

"Os negros de senzala nunca se adaptariam à rede, dormiam no chão. Senhoras brancas tentavam convencer a negra a usar a rede, principalmente após a maternidade. Quando a usavam desde meninos, os negros permaneciam fiéis à rede. Era comum dizer-se que "negro que não zela sua rede, não zela seu amo", além disso acreditava-se que o uso da rede amansava o escravo."
Câmara Cascudo

"Há uma locução proverbial, que eu literalmente realizei. Era em Corumbá: tinha sete para oito anos, embalava-me na rede, à hora da sesta, em um quartinho de telha-vã; a rede, ou por estar frouxa a argola, ou por um impulso demasiado violento da minha parte, desprendeu-se de uma das paredes e deu comigo no chão. Caí de costas; mas assim mesmo de costas quebrei o nariz, porque um pedaço de telha, mal seguro, que só esperava ocasião de vir abaixo, aproveitou a comoção e caiu também."
Relato do autodeclarado "mais caipora de todos os homens", o desafortunado Sr. Matias Deodato de Castro e Melo, personagem suicida do conto "Último Capítulo", de Machado de Assis.

Na montagem do slideshow FOTOS RARAS, a imagem que me deu mais trabalho para conseguir foi: "uma rede de dormir preta". Inclusive tive de pesquisá-la como "black hammock". Se não tivesse sucesso na pesquisa, o meu Plano B seria: "uma rede de dormir com uma preta".


Rede e televisão:
Já tenho uma e outra. O que me falta?
Uma rede de televisão.

"Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo. Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com o seu amante."
"Felicidade clandestina" - Clarice Lispector

"Que prazer mais um corpo pede
Após comido um tal feijão?
— Evidentemente uma rede
E um gato para passar a mão..."
"Feijoada à minha moda" - Vinicius de Moraes

"O cearense não emigra, apenas muda a posição da rede."
Padre Antonio Vieira, de Iguatu

Orangotangos são primatas inteligentes. Nemo, uma orangotango fêmea de 14 anos, atração do Nakhon Ratchasima Zoo, na Tailândia quer tirar um cochilo à tarde, mas dormir no "colchão de molas concreto" pode não ser muito confortável. Veja como ela lida com o problema. VÍDEO
Original: EM, 28/12/2015

sábado, 12 de março de 2016

NECROLÓGIOS

O necrológio de Douglas Legler, motorista de caminhão em Dakota do Sul, foi uma obra-prima da concisão.
Dizia simplesmente: Doug morreu.
Foi publicado em um jornal local, sob uma foto de Douglas, sorridente.
Ele era um sujeito bem-humorado, gostava de música country e, ocasionalmente, de frequentar um cassino. Deixou escrito com uma filha como exatamente queria que fosse o seu necrológio.
Jacó vai colocar um anuncio no jornal.
- Gostaria de colocar uma nota fúnebre sobre a morte da minha esposa, diz ao atendente.
- Pois não, quais são os dizeres?
- Sara morreu!
- Só isso? - espanta-se o rapaz.
- Sim, Jacó não quer gastar muito.
- Mas o preço minimo permite até 5 palavras.
- Então coloca: Sara morreu. Vendo Monza 94.
Original: EM, 22/11/2015
O bom e não tão velho Dr. Fesmire
Vamos sentir muita falta (incluam-me fora disso) do Dr. Francis M. Fesmire (foto), que faleceu na sexta-feira passada (30). Ele, que foi um dos vencedores do Prêmio Ig Nobel de Medicina, em 2006, com o seu estudo médico Termination of Intractable Hiccups with Digital Rectal Massage (Interrupção de soluços incuráveis com massagem retal digital), e que foi também, em 2008, agraciado com o prêmio Herói de Medicina de Emergência, do American College of Emergency Physicians. Dr. Fesmire gostava de comparecer nas solenidades de premiação do Ig Nobel, desde o ano em que ele ganhou o seu galardão. Ah, o bom e não tão velho Dr. Fesmire, com a sua mão enluvada e o caridoso estoque de gel KY, sempre se oferecendo para aplicar a sua técnica, gratuitamente, a qualquer membro da platéia que estivesse em necessidade!
Original: EM, 06/02/2014

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

EM CARTAZ - IV

MEMORIOL B6 DE AIRES
Produção brasileira de 2002. Conta a história de Aires, um provecto senhor que é obrigado a tomar diariamente um granulado à base de acetilcisteína para não piorar da pneumopatia crônica. Sujeito a lapsos de memória, Aires também tem de tomar um segundo remédio. É o que faz com que ele se lembre de tomar o primeiro, no dia seguinte. Cenas em flashback mostram a vida que podia ter sido e que foi. Tosse, tosse, tosse. Aires sempre tossindo por não tomar o primeiro remédio, por não ter tomado o segundo na véspera. Febre, hemoptise, dispneia e suores noturnos. Mandou chamar o médico, que não veio. Na madrugada, a vitrola rolando um tango, tocando Piazolla sem parar... Mandou chamar o agente funerário, que veio esfregando as mãos de contentamento. Filme liberado sem cortes pela Anvisa, exceto o rolo 13 que foi interditado cautelarmente.
A SÍNDROME DE GOLDFIELD
Produção norte-americana-sul-africana de 2014. Lucy, a personagem principal do filme, sofre um acidente de carro e isso faz com que tenha uma lesão no cérebro em que ela perde a memória de curta duração. Lucy consegue lembrar-se somente dos fatos ocorridos anteriormente ao acidente, e os fatos que passam a ocorrer após o acidente só permanecem em sua memória até ela dormir. Assim, quando ela acorda não consegue se lembrar de nenhum fato ocorrido no dia anterior e, dessa forma, ela sempre revive o mesmo dia, sem perceber que isso está acontecendo. Lucy é portadora da síndrome de Goldfield, cuja principal característica é a perda da memória de curta duração com o sono. Neste filme, Lucy assiste diariamente ao "Como se fosse a primeira vez" ("50 first dates", do diretor Peter Segal), por não se lembrar de já ter visto muitas, muitíssimas vezes a comédia romântica de referência.
QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO?
Produção brasileira de 20013. Remake do filme homônimo, filmado na Índia em 2008, o qual foi indicado para dez Oscars, obtendo oito. Nesta nova versão, o enredo da película foi adaptado para contar a história real de um bilionário brasileiro que, mercê de sua ousadia falencial, transformou-se em um milionário – admirado até pelo Papa Francisco. Financiado pelo próprio milionário, o filme brasileiro de 2013 teve um orçamento bem mais modesto, a começar pelo orçamento do pôster (►) que foi usado na divulgação.
EM CARTAZ - I
EM CARTAZ - II
EM CARTAZ - III

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

PEGADINHAS NA AREIA

1
Uma noite um homem teve um sonho. Sonhou que estava andando na praia com o Senhor enquanto, no céu, iam se passando cenas de sua vida. Para cada cena que se passava, ele percebia que eram deixados dois pares de pegadas na areia: um feito por seus pés e o outro, pelos pés do Senhor.
Quando a última cena de sua vida se passou, o homem olhou para trás, para as pegadas na areia, e notou que, muitas vezes, havia apenas um par delas. Notou também que isso acontecera nos momentos mais difíceis de sua vida.
Aborrecido, perguntou ao Senhor:
- Senhor, uma vez Tu me disseste que andarias sempre comigo, em todo o meu caminho, mas notei que, durante as atribulações do meu viver, havia apenas um par de pegadas na areia. Não compreendo porque, em meus momentos mais difíceis, Tu me deixaste...
O Senhor respondeu:
- Meu precioso filho, eu te amo e jamais te abandonaria em tuas dificuldades. Mas, onde viste na areia apenas um par de pegadas, isso foi coisa do Homem Invisível.
Original: EM, 02/03/2009
2
O Senhor respondeu:
- Os povos da areia sempre andam em fila única para esconder quantos são.
My[confined]Space
Comparar com a versão anterior.
Original: EM, 18/12/2011
3
Voltei a sonhar com "Pegadinhas na areia".
Desta vez, prestei mais atenção aos detalhes do sonho e, assim, cheguei a uma conclusão, digamos, teomórfica:
Deus calça 38!
Como cheguei a essa conclusão? Elementar, meu caro leitor. Fui comparando o tamanho das pegadas que íamos deixando na areia. Eram iguais em comprimento e largura.
Como calço 38, logo:
Deus calça 38 no Brasil, 39 na Argentina, 40 na Europa e 7.5 nos Estados Unidos e Canadá.
Eu que fiz todas essas conversões. Apesar de que ninguém é profeta em sua terra.
A Bíblia não toca no assunto, mas essas diferentes escalas de como medir os pés são consequências menos lembradas da Torre de Babel.
Original: EM, 18/09/2015